• Quinta dos Bacelos – Rondulha - Estrada do Casal da Coxa, 18 - Vila Franca de Xira

  • (+351) 263 287 200

/fileuploads/Noticias/_casa.jpg
COVID-19: EVITAR SURTOS DURANTE O SURTO
Orientações psicológicas em situações de stresse para cuidadores de crianças. Dicas, ideias e conselhos técnicos para enfrentar o melhor possível esta fase em que todos devemos cumprir de forma responsável as indicações de permanecer em casa. 

Ao longo das últimas semanas, muito se tem falado sobre o novo surto proveniente da China, o que tem contribuído para uma crescente preocupação de todos nós, que vamos acompanhando a informação constante nos meios de comunicação social. Esta, muitas vezes, acaba até por se demonstrar contraditória, dificultando ainda mais o discernimento perante a situação.
À semelhança de outros momentos de crise anteriores, o Coronavírus despoleta inúmeras reacções individuais, que vamos ouvindo por aí e que deixo alguns exemplos: “a mim nunca me irá apanhar”, “é melhor comprar o maior número possível de máscaras e desinfectantes”, “só espero que na escola do meu filho ninguém fique infetado”, “ai meu Deus, tive com um amigo que esteve em Espanha”, “é melhor trazer do Supermercado, a maior quantidade de comida”.
De facto, isto de apelar à racionalidade em momentos críticos e de elevada ansiedade, vai “tocar” de forma única naquilo a que chamamos crenças, preconceitos e, acima de tudo, à nossa capacidade de gerir a angústia, o stresse, a resolução de conflitos e, no seu limite, como entendemos isto de todos os seres terem uma finitude.
Bom, quando se trata de gerir todo este turbilhão de ideias e emoções e ainda ter que cuidar de alguém que depende destas nossas capacidades, fica ainda mais difícil assumir o controlo, quando o mais provável é perdê-lo a qualquer momento!
Queria então partilhar com tod@s alguns pontos centrais, que considero importantes para “passarmos” o melhor possível – do ponto de vista psicológico – esta crise do Coronavírus, no sentido de configurar uma resposta adequada, àquilo que são as necessidades próprias e às dos que connosco contactam e dependem.
Irei considerar sobretudo, as orientações disponibilizadas por entidades oficiais, nomeadamente a OMS (Organização Mundial de Saúde) e a OPP (Ordem dos Psicólogos Portugueses), no que diz respeito, a como Ajudar as Crianças a Lidar com o Stresse Durante o Surto de COVID-19 e Como Lidar com uma Situação de Isolamento.
Estou esperançoso que, assentes num espírito de confiança e interajuda, todas as pessoas continuem a acompanhar e a cumprir as recomendações das entidades competentes, contribuindo para um sentimento de controlo e clima psicológico saudável, reduzindo consideravelmente os efeitos negativos desta nova pandemia.

Ajudar as Crianças a Lidar com o Stresse Durante o Surto de COVID-19

1- Existem várias formas das crianças se manifestarem em situação de stress (ex. birras, choro, agitação motora, mais colo, mais zangadas, xixi na cama, regredirem nas aprendizagens, etc.). 
Sugestão: seja mais compreensivo, dedique mais tempo a escutar as suas preocupações, dê-lhe mais apoio e carinho, maior contenção física (se valorizado pela criança).
2- Proporcione brincadeiras e atividades sugestivas/criativas. Fomente o amor e o carinho para com os mais pequenos, favorecendo diálogos tranquilos. Crie situações em que o relaxamento é a prioridade – opção não fazer nada, etc.
3- É fundamental manter as figuras de referência junto das crianças, evitando a sua separação dos cuidadores. Na eventualidade de não ser possível (hospitalização), garantir um contacto regular entre a criança e as suas referências, através dos meios de comunicação possíveis (ex. telemóvel). Tal irá devolver maior segurança e tranquilidade à criança.
4- Não sendo possível garantir parte da rotina habitual, favoreça a criação de novas, adaptadas (sobretudo) às características, necessidades e interesses das crianças.
5- De acordo com a idade e nível de compreensão, explique de forma simplificada o que se passou (factos), o que se passa e de que forma pode contribuir para reduzir o seu risco de infeção.
6- De forma tranquilizante, disponibilize informação sobre o que pode acontecer em caso da própria, de um familiar ou de uma figura de referência se sentir mal, ajudando a construir a ideia de que receber ajuda dos médicos, no hospital, durante um período de tempo, será a melhor maneira para se sentir melhor. 

COVID-19: Como Lidar com uma Situação de Isolamento

“O isolamento contribui para conter a propagação do vírus e os que se encontram nesta situação contribuem decisivamente para manter a sua segurança e a dos outros.
Se está a experienciar uma situação de isolamento pode encontrar abaixo algumas das respostas habituais a esta experiência e recomendações que o/a podem ajudar a enfrentá-la.” 
Nota retirada do documento original da OPP

1- COMO CUIDAR DE SI PRÓPRIO?
Mantenha-se informado e compreenda o risco: quantidade de notícias e mediatização cria a ilusão de um perigo superior ao real. Escolha fontes seguras de informação e limite a sua exposição a notícias que possam aumentar a sua ansiedade;
Peça ajuda: recorra sempre que necessário aos mais próximos e não receie solicitar o seu apoio (medicamentos, bens essenciais, meios de comunicação). Não fará de si um ser inferior, pelo contrário!
Mantenha-se em contacto com os mais próximos: é uma das formas mais eficazes para reduzir a ansiedade. Comunique com regularidade, através de mensagens, videochamadas, redes sociais…
Realiza atividades do seu gosto e relaxe: ler um livro, ouvir música, séries, jogos, aproveite para realizar algumas atividades que habitualmente tem tendência em deixar para depois.
Dentro do possível, mantenha algumas atividades habituais (rotinas): coloque o despertador à sua hora normal, vista-se, realize refeições dentro dos seus horários predefinidos e, se considerar uma opção, porque não trabalhar a partir de casa ou realizar alguma tarefa algures perdida no tempo.
Realize exercício físico: dança, yoga, APP exercícios em casa…
Mantenha uma dieta equilibrada.
Mantenha-se confiante e esperançoso: falar com os mais próximos (amigos, família ou profissionais de saúde) sobre o que pensa e sente ajuda a diminuir a ansiedade. Confie em si, nas suas potencialidades e nas estratégias que resultaram consigo noutras situações difíceis no passado.

2- O QUE ESPERAR APÓS O ISOLAMENTO?
Após o isolamento pode sentir um misto de emoções – tristeza, raiva, alívio. E ter dificuldade em conectar-se com amigos e familiares, nomeadamente com aqueles que demonstraram maior receio de contacto. Partilhe informação sobre a doença e o risco para os outros, de modo a acalmá-los e facilitar esse relacionamento.
Se sentir stresse, nervosismo ou ansiedade extremas, dificuldades em dormir, comer, incapacidade em realizar as atividades ou desejo de consumir substâncias para lidar com a situação, ligue para SNS24 ou fale com um profissional de Saúde. 

3- REAÇÕES POSSÍVEIS DURANTE O ISOLAMENTO. O QUE ESPERAR?
MEDO E ANSIEDADE: no que diz respeito à saúde do próprio e dos mais chegados, dos que connosco contactaram, aos sintomas físicos que vamos experienciando…
SOLIDÃO: sentirmo-nos “afastados do mundo”, dos que mais gostamos.
PREOCUPAÇÃO: por alguém ter ficado em isolamento por ter contactado connosco, por estarmos afastados do trabalho, de não poder realizar as nossas rotinas e vermo-nos privados de sair de casa.
FRUSTRAÇÃO E ABORRECIMENTO: por não podermos levar a “nossa vida” normal, pela falta de estímulos habituais da rotina.
ZANGA: pela própria condição de isolamento e pensar que, devido à negligência de outros, fomos expostos ao vírus.
ANGUSTIADOS: por não poder cuidar dos que de nós dependem ou que dependemos de alguém para ser cuidados.
TRISTEZA, MEDO E DESESPERANÇA: desejo de consumir substâncias, alterações alimentares e do sono.
INCERTEZA: sobre o que irá acontecer e o tempo de permanência em isolamento.

Samuel Branco, Psicólogo

 

ABEI

Notícias Recentes

Assembleia Geral de Sócios

Assembleia Geral de Sócios

Convoca-se a Assembleia Geral de Sócios da ABEI para o dia 6 de dezembro, pelas 18h00, no Auditório da Quinta dos Bacelos.

Consulte a conovocatória, bem como a ordem de trabalhos, no documento em anexo.

Processo eleitoral na ABEI 

Processo eleitoral na ABEI 

Informam-se todos os associados que está aberto o processo eleitoral na ABEI.
<strong></strong>Dia Mundial de Combate ao Bullying 

Dia Mundial de Combate ao Bullying 

O Dia Mundial de Combate ao Bullying é uma data que pretende alertar as famílias e comunidade, concretamente a escolar, para um fenómeno presente na nossa sociedade. Além de alertar, é importante sabermos a que se refere e os sinais de alerta para a identificação precoce de situações de bullying e o que leva ao seu combate. 
Dia Mundial da Saúde Mental

Dia Mundial da Saúde Mental

A saúde mental tem ganho relevo e a sua importância tem vindo, cada vez mais, a ser valorizada. Contudo, ainda é necessário desmistificar alguns preconceitos, sendo o mais comum de que o psicólogo “é para malucos”!

Nada disso. Este dia serve para quebrar tabus e para dar a conhecer o papel de enorme importância dos profissionais de saúde mental, nomeadamente, o psicólogo.

ASSEMBLEIA GERAL DE SÓCIOS

ASSEMBLEIA GERAL DE SÓCIOS

Vai realizar-se, no dia 22 de junho, a Assembleia Geral da ABEI.

A Assembleia terá início pelas 18h, no Auditório da Quinta dos Bacelos.

Aniversário da ABEI junta mais de 200 pessoas em Vila Franca

Aniversário da ABEI junta mais de 200 pessoas em Vila Franca

Aos 47 anos, a ABEI tem cada vez mais energia! A instituição celebrou o aniversário a 13 de maio e a festa fez-se no dia seguinte, com um peddypapper muito animado, que juntou mais de duas centenas de pessoas em Vila Franca de Xira.
Peddypapper Aniversário da ABEI

Peddypapper Aniversário da ABEI

A ABEI faz 47 anos a 13 de maio e, no dia 14, sábado, vamos comemorar a data com um PEDDYPAPPER em Vila Franca de Xira!
AJUDAR SEM GASTAR COM O SEU IRS

AJUDAR SEM GASTAR COM O SEU IRS

Decida que instituição ajudar com a consignação do seu IRS.
É uma atitude que não tem custos para si e vai estar a AJUDAR SEM GASTAR.
Como falar da guerra às crianças

Como falar da guerra às crianças

É praticamente impossível escapar às notícias sobre a guerra na Ucrânia. Como devemos explicar o assunto às crianças e o que lhes devemos contar? Neste artigo, a psicóloga da ABEI dá algumas dicas para que os pais possam lidar melhor com esta realidade.
Assembleia Geral de Sócios

Assembleia Geral de Sócios

Vai realizar-se, no dia 30 de novembro, a Assembleia Geral da ABEI.
ABEI distinguida com "Selo de Boas Práticas 2021"

ABEI distinguida com "Selo de Boas Práticas 2021"

O trabalho da ABEI em dois projetos - um sobre alimentação e outro sobre a criação de laços na Unidade de Saúde - foi reconhecido com o "Selo de Boas Práticas 2021".
Assembleia da ABEI com participação dos sócios e homenagem a colaboradores

Assembleia da ABEI com participação dos sócios e homenagem a colaboradores

A Assembleia Geral da ABEI foi marcada pela participação ativa dos sócios e pela homenagem e agradecimento a todos os trabalhadores que, apesar das difíceis circunstâncias, se superaram a todos os níveis ao longo dos últimos meses.
Escola da ABEI no “Apps for Good"

Escola da ABEI no “Apps for Good"

Os alunos da ABEI apresentam três projetos no 7º Encontro Regional do “Apps for Good“, que acontece online.

Vote nos projetos da nossa Escola!

Escola da ABEI recebe Bandeira Eco-Escolas

Escola da ABEI recebe Bandeira Eco-Escolas

Pelo 5º ano consecutivo o equipamento dos Bacelos recebeu o galardão Eco-Escolas pelo trabalho desenvolvido no contexto deste projeto que promove uma escola mais sustentável e amiga do ambiente.
46 anos: Parabéns ABEI

46 anos: Parabéns ABEI

No 46º aniversário da ABEI, quem esteve de parabéns foi a nossa equipa!